sábado, 15 de novembro de 2008

É preciso encontrar a outra metade da laranja

Só somos capazes de amar de verdade quando encontramos alguém a quem podemos admirar as qualidades e suportar os defeitos. Se os defeitos nos incomodam mais do que nos alegram as qualidades, não pode haver amor. O relacionamento se arrasta em uma obsessão egoísta de tornar o outro o máximo parecido com as qualidades que desejaríamos que ela tivesse, mas que na verdade a pessoa não tem. Isso se torna maçante, e sem perceber invadimos o espaço do outro querendo mexer na sua essência. Isso não é amor! É claro que numa relação amorosa ambos os parceiros ajudam-se a crescer, o amor dá condições para o crescimento, nos ajuda a superar limitações, mas isso se dá sem esforço, pelo simples fato de amar e viver uma relação sadia onde cada um pode ser ele mesmo e ao mesmo tempo ser para o outro. Quando nos relacionamos com alguém a quem o que mais queremos é mudar, a que amamos, então? A uma capa? À imagem que criamos em nossa mente dessa pessoa? Precisamos aprender que em qualquer relação recebemos o pacote completo, a pessoa vem cheia de qualidades e de defeitos e que não dá pra devolver os defeitos e ficar só com as qualidades. Então, se percebo que com aquela pessoa, tal qual ela é não consigo ser feliz, é hora de rever meus próprios sentimentos e a minha capacidade de conviver para sempre com aqueles defeitos que tanto me incomodam. Se nesse mergulho em mim mesmo percebo que não serei feliz, tenho de admitir pra mim mesmo que a relação não dá mais! Se não faço isso, além de não ser feliz, não permitirei a felicidade do outro, pois ficarei ao lado dessa pessoa tentando o tempo todo transforma-la naquilo que imagino que ela possa vir a ser. Pare e ponha-se no lugar dessa pessoa: como seria pra você dividir a sua vida com alguém que não te aceita do jeito que você é, e que o tempo todo ao seu lado se esforça não pra te fazer feliz, mas para transformar você na pessoa que o faria feliz?
É isso o que fazemos o tempo todo, queremos transformar o outro na pessoa que queremos e precisamos aprender a querer uma pessoa pelo que ela é. Isso é amor! É preciso encontrar a outra metade da laranja, aquela que se encaixa em nós, e não ficar mutilando uma laranja maior para torna-la a nossa forma.
Nívia Amaral Mares
15/11/2008

5 comentários:

tabajara disse...

Oie senhorita Nívia!!!
Amei o texto. Acho q todos nós precisamos disso msm, sem essa outra "metade" td fica mais complicado.
Bjão e bom final de semana

darinho disse...

NOS UNIMOS À OUTRA ALMA PARA FAZÊ-LA FELIZ.
Delicie-me com a laranja do seu texto. Deus já me deu a metade da laranja e sei que Ele está preparando um vaso de honra para você. No momento certo, tudo daŕa certo... Espere no Senhor...
Abra seu coração...abriu? Receba um beijinho bem lá no fundo... Agora feche com carinho...

Bea3 disse...

Oi Nívia!
Um grande beijo!!!

uesley pereira disse...

Uma fruta só pode ser admirada em sua plena forma e vigor, forma esta unigênita (Completa)" Ser Humano" idem.Beijos

lambertte disse...

pensamento:
reflexão:



Ninguém é perfeito
Todos temos qualidades
Todos temos defeitos.

Nunca julgues um livro pela capa,
Ela pode ser bonita, pode ser linda
Más, e se o livro estiver sem nada?

Seje feliz, distribua sua felicidade,
seus textos são ótimos para refletir!

Continue sempre assim !

Estou aguardando outro texto para comentar!heheheheheheh


Te adoro

>> by Lambértte Stinghel <<